Álcool em gel fará parte do cotidiano da maioria dos brasileiros mesmo após pandemia

 


Hábitos de higiene que foram intensificados para evitar contágio da covid-19 ajudam a prevenir outras doenças como meningite e hepatite

Teorias indicam que são necessários pelo menos 21 dias para criar um novo hábito. Após quase dois anos intensificando os cuidados para evitar a covid-19, uma pesquisa realizada pela Xlear aponta que 64% dos brasileiros pretende manter a lavagem das mãos e 50% o uso do álcool em gel mesmo após o fim da pandemia. 

“Há alguns anos, o H1N1 já tinha nos mostrado a importância da higienização das mãos, mas pela gravidade da covid-19, isso foi intensificado. Difícil um local que não tenha álcool em gel disponível. Esses hábitos de higiene são muito benéficos também para evitar outras doenças, como gripes, micoses, meningite e hepatite. Manter a higiene pessoal, assim como das superfícies, é fundamental para evitar casos assim”, explica a infectologista do Hospital Marcelino Champagnat, Camila Ahrens.

A pesquisa, que ouviu 600 pessoas, também aponta que 44% continuarão evitando tocar nariz e olhos sem ter as mãos limpas e 36,2% colocar a mão na boca, além de 17,4% que pretendem manter a rotina de lavar o nariz. Especialistas alertam sobre outros hábitos de higiene fundamentais para diminuir riscos à saúde como tomar banho diariamente, trocar roupas pessoais e de cama com regularidade, cortar as unhas, escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia e não compartilhar objetos de uso pessoal. 

“São hábitos simples, mas que mesmo assim ainda não foram incorporados ao dia a dia de muitas pessoas e isso é muito benéfico para prevenir outros problemas de saúde”, ressalta a infectologista.


Comentários